fbpx
Abril 15, 2021

Canal Balneário

Histórias do desporto na primeira pessoa, do futebol ao berlinde, do nacional ao distrital

Arte urbana em campos de basquetebol

2 min read

Em 1992, o angolano Oliveira Donbell, mais conhecido por “Maninho”, construiu um campo ao ar livre, no Bairro de Lóios, em Chelas. Montou uma tabela de basquetebol, pintou no chão um touro, em homenagem aos Chicago Bulls, e o recinto ficou conhecido por “Chicago”. Tornou-se um ponto de encontro de gerações.

A partir desta semana, apôs uma remodelação, empreitada com responsabilidade da Câmara Municipal de Lisboa e Junta de Freguesia de Marvila, o campo está de cara lavada para os amantes do basquetebol, e para que as novas, e velhas gerações, se possam encontrar e reencontrar.

A remodelação foi entregue à empresa Hoopers, empresa que alberga uma comunidade de amantes da modalidade e que também já teve a seu cargo a remodelação do icónico espaço 3×3 das Enguardas, em Braga, inaugurado em Setembro, sendo este o maior campo da Europa, com medidas oficiais para poder receber provas da FIBA.

Polidesportivo S. José, Braga – Foto: Facebook/hoopers.club

A dupla Mariana Branco e Emanuel Barreira, que compõem os Halfstudio, foram chamados para esta intervenção, e não se desviaram daquilo que são conhecidos: o lettering. No campo pode-se ler Chicago, nome pelo qual foi batizado pelo seu fundador, aberto a qualquer pessoa.

Frederico Umbelina, treinador, ao ver que o campo continuava no ativo, contatou um dos seus ex-jogadores e fundador da Hoopers, André Costa, com vista a uma intervenção ao recinto.

“Depois da chamada do Fred (Frederico) e da primeira visita ao espaço, rapidamente percebemos o enorme potencial deste campo, não só pela sua localização, mas sobretudo pela energia da comunidade. Encontrámos ali a primeira geração de jogadores a ensinar o amor pelo jogo aos mais novos: isto é a essência da Hoopers e da nossa comunidade”, explica em comunicado André Costa, fundador da Hoopers.

Promover o desporto, tornando-o atrativo com elementos visuais, é uma das missões da Galeria de Arte Urbana – GAU em Lisboa, parceira desta iniciativa. Mais espaços com este irão ser criados e remodelados, com a estratégia de promover a prática de desporto ao ar livre, um dos eixos da Lisboa Capital Europeia do Desporto 2021.

Facebook Comments

error

Subscreva as nossas plataformas sociais