fbpx
Setembro 25, 2022

Canal Balneário

Histórias do desporto na primeira pessoa, do futebol ao berlinde, do nacional ao distrital

Black Lion vencem Rugby Europe Super Cup

3 min read
rugby europe super cup

imagem: Rugby Europe

Black Lion levantam a Taça no Jamor em final intensa da Rugby Europe Super Cup

Enfrentaram-se no Jamor dois estilos de rugby distintos. Os Lusitanos com um jogo mais de circulação rápido, contra o jogo mais físico dos Black Lion.

Os georgianos inauguraram o marcador aos 12 minutos com um ensaio do seu número 8 depois de um alinhamento ganho já perto da linha de ensaio dos Lusitanos. Depois seguiu-se um moule dinâmico que depois de desfeito teve como sequência o ensaio. Uma receita que os georgianos vão repetindo frequentemente. Depois veio a conversão e o resultado estava estabelecido em 0-7.

Portugal respondeu bem com uma jogada muito perigosa de jogo aberto, mas que não teve a conclusão desejada.

Manuel Cardoso Pinto acabaria por chegar ao ensaio aos 17 minutos. O ensaio não foi convertido, mas chegou depois de uma jogada de circulação de bola lusitana com Sousa Guedes a conseguir penetrar e a soltar a deixar bem a bola depois de placado para Appleton que deu sequência ao jogo para a ponta.. 5-7 era o resultado a meio da primeira parte.

Á passagem do minuto 22 os Black Lion andaram perto de ampliar vantagem com uma jogada a usar a tal receita do costume, mas os Lusitanos conseguiram impedir o ensaio por uma “unha negra”.

Nuno Sousa Guedes anotou, de penalidade, 3 pontos para os Lusitanos, subindo a pontuação portuguesa para 8, e a equipa portuguesa passou para a frente do marcador por 8-7.

O resultado manteve-se até ao intervalo com um jogo que se manteve fiel às identidades das respetivas equipas.

A segunda parte abre com Sousa Guedes a dar mais 3 pontos aos Lusitanos através de mais uma penalidade. 11-7 no placard e os portugueses tinham uma almofada que não era grande, mas nas finais, os pontos são todos importantes.

Apesar da intensidade física dos Black Lion, os Lusitanos iam crescendo no jogo e a conseguir ganhar metros com o seu tradicional jogo à mão, até que após repetidas faltas nas formações ordenadas surge um amarelo para António Prim. Portugal ficaria assim com 14 jogadores durante 10 minutos que se adivinhavam de grande sofrimento.

Os Black Lion começaram então a tentar desgastar a defesa lusitana através de múltiplas fases e do seu jogo muito físico. Inicialmente esta intenção esbarrou no estoicismo português, mas ao minuto 52 o formação dos georgianos fura a defesa e marca o ensaio, devidamente convertido e os Black Lion passam para a frente por 11-14.

A equipa da Geórgia aos 61 minutos voltou a pontuar com uma penalidade. Ampliando a vantagem para 11-17.

Aos 65 minutos os georgianos ficam reduzidos a 14 por 10 minutos depois de um desrespeito pelo recuo dos 10 metros após a falta. Na sequência, Sousa Guedes anota mais 3 pontos para os Lusitanos, reduzindo a desvantagem para 3 pontos (14-17). Era o momento de apostar tudo para os Lusitanos com vantagem numérica. No entanto os Black Lion mostraram saber segurar a bola e fazer correr o relógio, evitando que os Lusitanos tirassem benefício.

Os Lusitanos esboçaram algumas jogadas perigosas, mas as incursões nas linhas defensivas georgianas pecavam por falta de apoio. Com dois minutos para o fim, os Black Lion lideravam e o desgaste dos portugueses era notório.

Os Black Lion conseguiram segurar o jogo até final, perante a incapacidade lusitana de se aproximar da linha de ensaio.

Facebook Comments

error

Subscreva as nossas plataformas sociais